Pastel s/ b papel  Canson

Pastel s/ b papel Canson

“Escreve com sangue e aprenderás que sangue é espírito.” Friedrich Nietzsche

Mestre Martins Correia

Mestre Martins Correia

Pastel s/b papel Canson

Eugénio de Andrade

Eugénio de Andrade

Pastel seco sobre papel canson

Escultura e execução

Escultura e execução

Mármore Estremoz rosa

Artur Bual

Artur Bual

Lapis sobre papel sennelier Col Particular

"O tempo de Fernando Pessoa"

"O tempo de Fernando Pessoa"

Detalhe de pintura

Detalhe de pintura

Acrílico s/b tela

“Nascimento”

“Nascimento”

Acrílico e pastel s/b tela 70 cm x 100 cm "Os braços de uma mãe são feitos de ternura e os filhos dormem profundamente neles." Victor Hugo

Mestre Martins Correia

Mestre Martins Correia

Lápis S/B papel sennelier Col Particular

"Sonho"

"Sonho"

Acrílico s/b tela

"Coockie uma estrelinha no céu "

"Coockie uma estrelinha no céu "

Pastel s/b papel canson

"Mona Sarita"

"Mona Sarita"

Pastel s/b papel canson

"Laurinha"

"Laurinha"

Pastel e grafite s/b papel Ingres. Col Particular

"Peggy"

"Peggy"

Pastel e carvão Col Particular

"Romeu o eterno enamorado" .

"Romeu o eterno enamorado" .

Pastel sobre papel Ingres

As minhas rosas

As minhas rosas

Exposição "Transfigurações"

Exposição "Transfigurações"

No Ateneu Comercial de Lisboa

Exp" Eu sou de terra" Sala Atlântico

Exp" Eu sou de terra" Sala Atlântico

Parque de Santa Marta - Ericeira

"Psique"

"Psique"

Mármore Tamanho Natural Col. particular

"Eros"

"Eros"

Mármore Tamanho Natural Col.Particular

"Menina do Mar"

"Menina do Mar"

Exp. "O canto do último pássaro" no Espaço Edla em Sintra

"Anunciação"

"Anunciação"

Acrílico e pastel s/b tela 100 cm x 70 cm

Escultura em execução

Escultura em execução

Mármore Estremoz rosa

Exposição "Transfigurações"

Exposição "Transfigurações"

No Espaço + em Aljezur

"O Macaco e as Duas Vias"

"O Macaco e as Duas Vias"

80 cm alt x 100 cm comp Acrílico e Pastel s/b tela "O ser é e não pode não ser e o não-ser não é e não pode ser de modo algum." Parmênides

"Entrega" Poema de Antero de quental

"Entrega" Poema de Antero de quental

Bronze e Estremoz Na mão de Deus, na sua mão direita, Descansou afinal meu coração. Do palácio encantado da Ilusão Desci a passo e passo a escada estreita. Como as flores mortais, com que se enfeita A ignorância infantil, despojo vão, Depois do Ideal e da Paixão A forma transitória e imperfeita. Como criança, em lôbrega jornada, Que a mãe leva ao colo agasalhada E atravessa, sorrindo vagamente, Selvas, mares, areias do deserto... Dorme o teu sono, coração. Antero de Quental

"São Rosas"

"São Rosas"

no Condomínio Malveira-Guincho “Perdoa e ganhará o amor Um outro realce, outra beleza. É que se punires será o rancor A tomar mais evidência e mais clareza. Perdoa! O que partilhámos me redime. Nos espaços perfumados de Allah Apaga os vestígios do meu crime! Venha da clemência o teu soprar E tudo enfim desaparecerá. Que, se eu morrer, fique contigo Uma réstia de consolação. Morrerei mas levarei comigo A violência toda da minha afeição. Poema de Ibn`Amar Trad Adalberto Alves

Lucie de Sousa Cardoso

Lucie de Sousa Cardoso

Detalhe de quadro de homenagem a Amadeo de Sousa Cardoso

Carmen dos Santos

© 2023 por João Colibri. Orgulhosamente criado por Wix.com